Cadastra-se para receber notícias
Nossa Primeira Terra

23/12/2003 12:00

Tamanho da fonte

O deputado estadual Elvino Bohn Gass acompanhou, na tarde de domingo (21/12), a solenidade de lançamento oficial do Programa Nossa Primeira Terra pelo ministro do Desenvolvimento Agrário Miguel Rossetto. O evento que aconteceu no Parque Harmonia, em Porto Alegre, contou com a presença de cerca de dois mil jovens e teve a apresentação da esquete teatral Arca das Letras e shows do grupo Quinteto Violado, de Pernambuco, e do cantor nativista Leonardo.
O Nossa Primeira Terra, como explica Bohn Gass, é uma das linhas do Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF), do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). Esta linha destina-se a jovens rurais sem terra ou filhos de agricultores familiares, na faixa de 18 a 24 anos, que desejam permanecer no meio rural e investir em uma propriedade. Também serão contemplados jovens com formação em escolas agrotécnicas e de aprendizagem profissional, sendo necessário comprovar cinco anos de experiências na agricultura, acrescenta o petista.

Através deste programa, nos próximos três anos, deverão ser beneficiados 32 mil jovens e aplicados R$ 520 milhões, provenientes do orçamento do MDA. As condições do financiamento são 20 anos para pagar, três anos de carência e juros de 3% a 6% ao ano. O Programa também garante financiamento para que o jovem possa implantar o projeto produtivo da propriedade, inovação tecnológica para formação de agricultores experimentadores e assistência técnica.

Autor da Lei Bloco em Família no RS - que inclui os jovens do campo no Bloco do Produtor - e de algumas emendas ao Orçamento estadual para 2004, rejeitadas pelos deputados da base de Rigotto - onde propunha que o Estado investisse no acesso à terra, capacitação e desenvolvimento do jovens rurais, o parlamentar ficou bastante entusiasmado com a iniciativa do Governo Federal. O Nossa Primeira Terra é a prova concreta de que o Governo Lula, ao contrário de Rigotto e sua base, aposta na juventude rural. Essa é a grande chance que os nossos jovens agricultores terão para se desenvolverem. Esperamos que todos participem, assinalou Bohn Gass, para quem o Programa representa um incentivo à permanência dos jovens no campo, evitando o grave problema de envelhecimento do meio rural.

Além do Nossa Primeira Terra, O Programa Nacional de Crédito Fundiário possui mais duas linhas: Combate à Pobreza Rural, que irá beneficiar especialmente a região do semi-árido nordestino, Consolidação da Agricultura Familiar, para agricultores familiares com pouca terra que desejam ampliar sua propriedade e produção, além, de meeiros e arrendatários.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter