Cadastra-se para receber notícias
CPI das Carnes

09/03/2004 12:00

Tamanho da fonte

Embora com ressalvas, a bancada do PT votou favorável ao relatório final da CPI das Carnes, instaurada no ano passado para investigar a crise da suinocultura e da bovinicultura de corte do Rio Grande do Sul, apreciado em plenário nesta terça-feira (9). Os petistas apontam a existência de indiciamentos indevidos, a exclusão de recomendações e de sugestões de medidas ao governo estadual e o não indiciamento de empresas, cujas práticas envolvem combinação de preço ao produtor e refletem indícios de infração da ordem econômica. Apesar do documento não refletir, de forma satisfatória, a totalidade dos depoimentos e provas coletados durante os trabalhos da comissão de inquérito, estamos votando favorável, pois há questões importantes que foram contempladas, explica o deputado Elvino Bohn Gass (PT), vice-presidente da CPI.

Entre os acertos do relatório, os petistas elencam o indiciamento dos ex-presidentes do BNDES, Andrea Calabi e Luiz Carlos Mendonça de Barros, por improbidade administrativa, e dos ex-diretores do Grupo Chapecó, Plínio de Nes Filho e Alex Fontana. Por outro lado, a bancada do PT critica o não indiciamento das empresas Avipal, Perdigão, Sadia e Frangosul por indícios de combinação de preços ao produtor e da rede Sonae por ocorrência de indícios de infração à ordem econômica.

O deputado lamenta que o relatório não tenha incorporado sugestão da bancada do PT de realização de auditoria especial nos projetos de frigoríficos financiados pelo Fundo Operação Empresa (Fundopem, nos últimos 10 anos, para verificar se os recursos públicos disponibilizados para investimentos foram efetivamente aplicados e se as obrigações contratuais foram cumpridas. Ele aponta, ainda, que questões relativas à política de sanidade animal poderiam ter sido debatidas com mais profundidade pela CPI, como a criação de uma Agência de Defesa Agropecuária e Vigilância Sanitária e o controle sanitário do Mal de Aujeszky e da Febre Aftosa.

O parlamentar propôs, ainda, a implantação de uma política estadual para o enfrentamento do Mal de Aujeszky a abertura de linhas de crédito para a pecuária familiar gaúcha.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter