Cadastra-se para receber notícias
Agricultura

14/10/2004 12:00

Tamanho da fonte

Um grupo de pequenos produtores de arroz do litoral e fronteira oeste do Estado participou de reunião na Comissão de Agricultura da Assembléia Legislativa na manhã desta quinta-feira (14). Recebidos pelo deputado estadual Elvino Bohn Gass (PT), membro da Comissão, eles vieram relatar as dificuldades na liberação de recursos referentes ao Programa Terra Gaúcha, destinado à compra de terras na Metade Sul.

Durante a audiência, o agricultor Manoel Jober Dias de Souza, representante da Associação Agrícola Guará, de Palmares do Sul, disse que o governo do Estado alega falta de recursos para o Terra Gaúcha. Ele relatou que, apesar de seu grupo já ter aprovado junto ao Gabinete de Reforma Agrária e Cooperativismo (GRAC) o projeto e a documentação da área que pretendem adquirir, ainda não obtiveram o financiamento. O terreno em questão, 830 hectares, já foi vistoriado e aprovado por um técnico enviado pelo GRAC. Muitos agricultores até já investiram na compra de máquinas na certeza de que conseguiriam as terras. Mas nada foi liberado, acrescentou Jober.

Luís Bonorino, da Associação de agricultores Integração Rural de Itaqui lamentou a falta de definições do governo estadual. Já fizemos muito: escolhemos a terra, juntamos os documentos necessários, agrupamos os interessados, mas diante das incertezas deste governo, ficamos sem saber como agir, confidenciou.

De acordo com Bohn Gass, os recursos do Terra Gaúcha são provenientes do Banco Nacional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BNDES), que já os disponibilizou. No entanto, a equalização das taxas de juros das linhas de financiamento, que cabe ao Estado, estaria dificultando a liberação dos investimentos. Quando aprovamos na Assembléia, a autorização para a Caixa RS fazer esta operação, acreditávamos que os problemas estariam solucionados. No entanto, ao contrário do que o governo afirmou na época, isto não foi suficiente. Por isso, levamos a questão a representantes da Casa Civil, do Gabinete de Reforma Agrária e da liderança do Governo Rigotto no Legislativo sem obter resposta", assinalou o petista. Quero saber o que realmente está acontecendo. Não é possível que sejam só entraves burocráticos . Além disso, o prazo para utilização destes recursos termina no final deste ano, alertou.

A Comissão aceitou a proposta do parlamentar de realizar uma audiência com o secretário de Reforma Agrária Vulmar Leite, o presidente da Caixa RS, Dagoberto Lima Godoy, representantes das entidades no Funterra e agricultores prejudicados pela inoperância do governo, inclusive de outras regiões do Estado. O encontro deverá acontecer na próxima quinta-feira (21). São estas as pessoas que podem e devem nos explicar o que está acontecendo. E dar encaminhamento urgente à questão. Não é possível que agricultores que querem adquirir seus lotes de terra dentro desta modalidade não possam exercer esse direito, concluiu

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter