Cadastra-se para receber notícias
Agricultura familiar

11/01/2005 12:00

Tamanho da fonte

Em pleno recesso, o deputado Elvino Bohn Gass (PT) não sai da estrada. Desde o Natal até hoje (10/01), o petista já visitou mais de 30 municípios, priorizando reuniões e encontros com sindicatos (patronais e de trabalhadores) rurais, cooperativas e entidades ligadas à agricultura. Nos próximos dois anos, Bohn Gass será o presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária e Cooperativismo da Assembléia Legislativa e o intenso roteiro do recesso faz parte da preparação para o trabalho na nova função.

Desde que assumiu pela primeira vez uma cadeira no Parlamento gaúcho, em 1997, o deputado é membro titular da Comissão que agora presidirá. No ano passado, Bohn Gass foi coordenador da Comissão de Representação Externa que acompanhou a crise da Parmalat e seus reflexos para os produtores gapuchos, e, entre outras ações, esteve ao lado dos agricultores familiares na batalha por medidas compensatórias às perdas ocasionadas pela seca, foi o primeiro a alertar o governo Rigotto sobre o risco representado pelo Mal de Aujeszki, levou reivindicações dos produtores de trigo ao Ministério da Agricultura, cobrou a ampliação do Seguro Agrícola Estadual, denunciou irregularidades na cobrança de royalties pela Monsanto, trabalhou para garantir o atual sistema de previdência dos pequenos produtores durante a reforma da área e apresentou emendas para ampliar os recursos orçamentários destinados aos jovens do campo.

A proximidade política com o ministro Miguel Rossetto, do Desenvolvimento Agrário, levou Bohn Gass a auxiliar na elaboração do Seguro Agrícola Nacional, recém implantado pelo Governo Federal e que agora, com a estiagem que atinge centenas de municípios gaúchos, vai garantir a safra para, pelo menos, 200 mil famílias de agricultores. Já no ano passado, o parlamentar foi presença constante nas tratativas que culminaram com a criação da Bolsa Estiagem que atendeu os colonos que haviam sido prejudicados pela seca.

"Nosso trabalho na defesa e no apoio à agricultura familiar continua, agora com mais força ainda porque vamos estar à frente da Comissão de Agricultura, Pecuária e Cooperativismo da Assembléia Legislativa. E com certeza, a agricultura familiar terá um espaço nobre para debater e reivindicar," diz o futuro presidente.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter