Cadastra-se para receber notícias
Estiagem II

15/03/2005 12:00

Tamanho da fonte

O presidente da Comissão de Agricultura da Assembléia Legislativa, Elvino Bohn Gass (PT), defende que o governo do Estado destine, no mínimo, R$ 50 milhões para o fundo paritário emergencial, proposto pelo governo federal para atender as famílias de agricultores que não contam com cobertura do Proagro Mais ou do seguro agrícola estadual. Os recursos do fundo devem ser formados por verbas estaduais e contrapartida da União no mesmo valor. Com a destinação dos recursos pelo tesouro do Estado, os valores do fundo poderão chegar a R$ 100 milhões, contando com aporte de 50% do governo Lula.

Para chegar a este número, Bohn Gass partiu dos valores que compuseram o Cheque-Seca, empréstimo concedido pelo Governo do Estado aos produtores atingidos pela seca de 1996. Naquela oportunidade, foram destinados R$ 40 milhões. "Atualizando aqueles valores teríamos algo em torno de R$ 100 milhões. Como o Governo Lula se propõe a bancar metade deste dinheiro, nosso pleito passa a ser que o Governo Rigotto aporte R$ 50 milhões, no mínimo, para constituir o fundo", contabilizou.

Bohn Gass afirmou, ainda, que o governo gaúcho deve mobilizar todos os seus esforços para garantir estes recursos. O governo federal também não contava com recursos para enfrentar os prejuízos de uma estiagem de tamanha dimensão e teve que buscar o dinheiro para atender os agricultores. Trata-se de uma questão de prioridade, argumentou.

O número oficial de produtores gaúchos que não contam com qualquer tipo de cobertura será contabilizado por técnicos do Estado e da União conforme ficou acertado em reunião, realizada na última segunda-feira, entre o governador Germano Rigotto e o ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, no Palácio Piratini.

"Sabemos que este fundo não representa uma solução definitiva, mas somada às demais iniciativas do Governo Lula, recolocaria os produtores numa situação de dignidade para que possam voltar a produzir e tenham os prejuízos amenizados," finalizou Bohn Gass.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter