Cadastra-se para receber notícias
Seca

21/03/2005 12:00

Tamanho da fonte

"É lamentável. Faz parecer que o governador Rigotto não acordou para o drama daquelas famílias de agricultores que estão passando fome." Assim o presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária e Cooperativismo da Assembléia Legislativa, deputado Elvino Bohn Gass (PT) reagiu à postura do governador Germano Rigotto em não aceitar a proposta do Governo Federal de constituir um fundo de emergência paritário para atender as famílias de agricultores cujas lavouras da última safra não estão entre as 238 mil propriedades seguradas pela União (através do Proagro Mais) nem entre as 24 mil garantidas pelo Estado (através do Sistema Estadual de Seguro Agrícola).

Bohn Gass acompanhou a audiência do governador com representantes da Fetag na tarde desta segunda-feira (21) no Palácio Piratini e saiu decepcionado. "Embora estejamos evoluindo no que se refere ao atendimento das reivindicações dos colonos, no que tange ao Fundo de Emergência, que neste momento é prioritário, o governador se esquivou," analisa Bohn Gass.

O parlamentar ressalta que a paridade no Fundo de Emergência seria uma forma de o Governo Lula auxiliar o Estado a amenizar os prejuízos da seca com recursos que iriam além dos R$ 1,2 bilhão já anunciados oficialmente. "Espero que o governador reveja sua posição de não compor o fundo de forma paritária. O Governo Federal mostrou sensibilidade com a seca gaúcha, mexeu no próprio orçamento e anunciou um volume histórico de recursos. Rigotto precisa fazer a sua parte," encerra o deputado.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter