Cadastra-se para receber notícias
Apicultura

05/12/2005 12:00

Tamanho da fonte

Comissão pede reativação de Parque Apícola
e mel na merenda escolar gaúcha

Duas secretarias estaduais de governo foram receptivas a proposições do Comitê Gestor de Apicultura gaúcho na tarde desta segunda-feira (5/12). A primeira manifestação partiu do secretário estadual de Ciência e Tecnologia Kalil Sehbe (PDT ), que firmou parceria entre o órgão e representantes do setor de apicultura para a reativação do Parque Apícola de Taquari. O compromisso foi assumido durante audiência, intermediada pelo presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária e Cooperativismo da Assembléia Legislativa, Elvino Bohn Gass (PT).

Conforme o petista, o secretário ainda designou o técnico da Fundação de Pesquisa Agropecuária (Fepagro) Genis Muxfeldt para integrar uma comissão de trabalho que irá encaminhar a questão. A idéia é constituir um grupo para trabalhar a reestruturação do Pólo Apícola. Muxfeldt deverá fazer a ligação entre Fepagro, secretaria e entidades envolvidas para tocar o projeto, explicou o petista.

Bohn Gass sugeriu ainda a Kalil Sehbe que a secretaria destine pelo menos um dos 46 técnicos que foram aprovados no último concurso da Fepagro para atuação especificamente no setor de apicultura gaúcha. Vamos fazer um esforço para termos mais um técnico atuando nesta área e para revitalizar este Parque, concordou o secretário.

A segunda manifestação positiva ao setor partiu da Secretaria Estadual de Educação (SEC), na qual parlamentar e o presidente da Federação Apícola do RS, José Cunha, os representantes do Sebrae, Miguel Ribeiro, da CAPC, Ricardo Gutierrez e da UFRGS, Aroni Sattler foram recebidos pelas coordenadoras do Gabinete Pedagógico, Maria Amélia Fraga e da Divisão de Assistência ao Educando, Vera Ribeiro.
Segundo Bohn Gass, a inclusão do mel na merenda escolar das escolas estaduais e a divulgação de campanhas de esclarecimento sobre as propriedades nutritivas do produto foram bem recebidas. A próxima reunião do comitê gestor já deverá contar com a presença de uma nutricionista da SEC, adiantou o petista.

Para a professora Vera Ribeiro, o mel poderá ser incluído na merenda escolar desde que sejam observadas questões de segurança alimentar e de custos do produto. Precisamos de uma certificação de que o produto é saudável e também sobre o custo. Embora contemos com recurso federal, a contrapartida da secretaria é alta. Mas acho que o pleito é importante. Podemos pensar a respeito desde que observando estas duas questões, destacou.

Maria Amélia Fraga lembrou que a SEC fornece sugestões de cardápio para as escolas, conforme a estação climática. Nós fornecemos as sugestões, mas a autonomia é da direção das escolas. Seria importante que este trabalho de esclarecimento sobre o produto fosse feito também diretamente com as direções, sugeriu.

José Cunha, da Federação Apícola, se dispôs a visitar as instituições, dar palestras informativas sobre os benefícios do consumo de mel. Podemos divulgar este conhecimento nas escolas, informar sobre o produto, comprometeu-se.

Para o próximo encontro do comitê gestor, as coordenadoras concordaram em designar uma nutricionista para acompanhar o caso. É importante que tenhamos a participação de um nutricionista para que possamos esclarecer sobre os benefícios do consumo de mel e contar com a adesão destes profissionais na difusão deste entendimento. Além de natural, trata-se de um produto que gera renda para a agricultura familiar, concluiu Bohn Gass.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter