Cadastra-se para receber notícias
A incompetência faz aniversário

19/12/2005 12:00

Tamanho da fonte

É até possível que quando da publicação deste artigo, os tanques de combustível das viaturas da Polícia Civil e da Brigada Militar estejam cheios. O mais provável, contudo, é que investigadores, inspetores, soldados e sargentos continuem deixando de fazer seu trabalho porque falta gasolina nas viaturas policiais.

Aos fatos: no dia 6 de novembro, a imprensa da capital denunciou que 57 mil litros de combustível estavam à disposição, gratuitamente, da Secretaria de Justiça e Segurança do Estado desde, pelo menos, o mês de janeiro deste ano. Não, não se tratava de um presente de Papai Noel. Tratava-se, isto sim, de um acordo que o Ministério Público fizera com alguns donos de postos de gasolina que, por venderem combustível adulterado, estariam sujeitos a processos judiciais. Negociação para evitar os processos deu a oportunidade aos proprietários dos postos de entregarem todo o combustível adulterado que tinham estocado à BR Distribuidora. A BR reprocessaria o produto e entregaria a doação à Secretaria de Justiça e Segurança do Estado para abastecer as viaturas.

O acordo foi fechado com direito à cerimônia. Lá estavam representantes do MP e das secretarias estaduais da Segurança e da Fazenda. Fotos registraram os sorrisos de um final feliz. Mas, qual o quê! No dia 6 de dezembro, novamente a imprensa voltou à carga para denunciar o aniversário de um mês da incompetência do governo Rigotto neste caso. A reportagem dizia que, passados 30 dias da denúncia, o Estado ainda não dera jeito de buscar o combustível. Não custa relembrar que o combustível estava disponível desde o início do ano.

Os repórteres informaram que um impasse fiscal estava entravando o caso. Quem pagaria o imposto sobre o combustível doado? Da Secretaria de Segurança, tudo o que se conseguiu extrair foi que o tema estava sendo tratado com prioridade. Imaginem se não fosse! Na Segurança, o entrave seria culpa da Fazenda. A versão foi mal combinada porque na Fazenda, a culpa pela não liberação do combustível foi devolvida à Segurança.

Neste período de festas de final de ano, quando aumentam os índices de criminalidade e quando, portanto, a existência de viaturas nas ruas - em condições e com gasolina - se torna ainda mais imprescindível, não interessa quem é o dono da culpa, até porque é evidente: incompetência de gestão do Governo Rigotto. Importante mesmo é que a questão se resolva já que como desnudaram as reportagens, há quase um ano, Polícia e Brigada têm, à sua disposição, combustível suficiente para abastecer 1.266 viaturas que poderiam andar 450 quilômetros cada uma. Isto só não está acontecendo ainda porque dois órgãos do mesmo escalão e do mesmo governo não conseguem se entender.

Deputado Estadual - PT/RS

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter