Cadastra-se para receber notícias
Serviços Públicos

25/05/2006 12:00

Tamanho da fonte

Se você fosse um mineral, qual seria? Se você fosse um vegetal, qual seria? Questões como estas, listadas na prova de análise psicológica de seleção interna para ascensão vertical dentro da Emater, ligada ao Sindicato dos Empregados em Empresas de Assessoria, Perícia, Informações e Pesquisa e de Fundações Estaduais do RS (Semapi-RS), forçaram as entidades a solicitarem a realização de uma nova etapa B2, que corresponde à análise do perfil psicológico dos candidatos dentro do processo seletivo. A manifestação aconteceu durante audiência na Comissão de Serviços Públicos do Legislativo, na manhã desta quinta-feira (25), realizada por solicitação do Sindicato da categoria, que denunciou a ocorrência de irregularidades na empresa contratada para executar esta etapa do concurso.

Foram realizadas provas internas, previstas no Plano de Cargos e Salários, para diversos cargos. Duas empresas foram contratadas para o serviço. Uma de Porto Alegre e outra de Marau. As irregularidades, segundo o Sindicato, teriam se dado na avaliação realizada pela empresa de Marau, que não preencheria os requisitos para fazer a seleção. Conforme as denúncias, a empresa não utilizou pessoas habilitadas e métodos reconhecidos para avaliação. A categoria quer que sejam feitos novos testes com os candidatos que foram analisados por esta instituição específica, completou o deputado Elvino Bohn Gass (PT), que se aliou ao Semapi na reivindicação.

Conforme avaliação da psicóloga Silvia Mello, que acompanhou a reunião, os testes utilizados na prova interna da Emater são bizarros e não regulamentados pela categoria. A Emater não mandou representantes para a audiência. Sem esta representação, ficou impossibilitado o esclarecimento dos critérios e da forma de contratação utilizada pela Emater, o que caracteriza completa falta de transparência. É preciso barrar a nomeação dos candidatos e refazer os testes daqueles que foram avaliados de forma irregular para garantir uma seleção justa, disse o petista.

A Comissão de Serviços Públicos pedirá a não nomeação dos candidatos aprovados, a realização de nova prova de análise psicológica por empresa habilitada e encaminhará as denúncias ao Ministério Público Estadual.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter