Cadastra-se para receber notícias
Luz para Todos

26/05/2006 12:00

Tamanho da fonte

O programa federal Luz para Todos volta a pautar audiência pública da Comissão de Agricultura, Pecuária e Cooperativismo do Legislativo (CAPC). No encontro, que se realiza na próxima segunda-feira (29), às 14h, na Sala Professor Sarmento Leite - 3º andar da Assembléia Legislativa, será apresentado um balanço da implementação do programa no Estado a partir de painéis do secretário estadual de Minas, Energia Telefonia e Comunicações, José Carlos Elmer Brack; do presidente da Federação das Cooperativas de Energia, Telefonia e Desenvolvimento Rural do RS - Fecoergs- Egon Hoerlle; do diretor-presidente da CEEE, Edson Zart; do presidente da RGE -RS, Sidney Simonaggio e do diretor Geral da AES - Sul, Charles Lenzi.

Em 2005, juntamente com a Comissão de Serviços Públicos, a CAPC pautou o tema para esclarecer reclamações sobre o atraso da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) no atendimento a domicílios gaúchos. Pelo contrato selado entre Companhia, cooperativas e Governo Federal, a CEEE teria de realizar, entre 2005 e 2006, cerca de 12 mil ligações elétricas para famílias de baixa renda mas, até junho passado, havia concluído apenas 691 obras, o que corresponde a menos de 6% da meta. No ano passado, obtivemos a garantia do então secretário de Minas e Energia, Valdir Andres, de que a meta seria cumprida pela CEEE. Mas as informações oficiais dão conta de que, além de não ter realizado a meta, a Companhia foi a que menos executou ligações. Precisamos resolver isso porque o programa tem uma importância vital para a agricultura, disse o presidente da CAPC, deputado Elvino Bohn Gass (PT).

Segundo Bohn Gass, uma nova audiência permitirá uma avaliação mais completa do programa Luz para Todos com a participação do governo do Estado, prefeituras e de todos os atores envolvidos na questão. Vamos reunir a sociedade gaúcha novamente para analisar o andamento do programa observando a atuação dos responsáveis. Diante disso, poderemos fazer os ajustes necessários para reverter a condição gaúcha de 7º lugar no ranking da inclusão elétrica, concluiu o parlamentar.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter