Cadastra-se para receber notícias
Agricultura

21/06/2007 12:00

Tamanho da fonte

A criação do Fundo Estadual do Leite (Fundoleite) será o tema principal da próxima reunião ordinária da Comissão de Agricultura, Pecuária e Cooperativismo (CAPC) da Assembléia Legislativa, no dia 28 de junho. A proposta feita pelo vice-líder da bancada do PT, deputado Elvino Bohn Gass, foi aprovada pelos titulares da CAPC na reunião desta quinta-feira (21). A criação desde fundo já foi postergada demais. Há um consenso em toda a cadeia leiteira de que a medida é necessária. Os deputados fizeram a sua parte apresentando até mesmo um projeto de lei ao Executivo. Agora, só depende do governo, afirma Bohn Gass.

O deputado já conversou com o secretário estadual de Agricultura, João Carlos Machado, que garantiu a presença do governo na audiência. Bohn Gass sugeriu que sejam convidados todos os agentes da cadeia leiteira. Gostaríamos de contar com o Sindilat, com a associação dos pequenos produtores e com as cooperativas. E, além do próprio secretário Machado, seria importante a participação da Emater, Fetag, Fetraf, MPA, Famurs, Embrapa e das universidades, relaciona o petista.

Composição

Embora a criação do Fundoleite seja consensual, Bohn Gass admite que sobre a composição do fundo há posições divergentes. Pessoalmente, defendo que esta composição tenha participação maior das empresas porque elas são as que mais ganham. Mas ao governo cabe, além do gerenciamento, destinar verbas para garantir o fundo. Quanto aos produtores, minha posição é de que também colaborem, mesmo que numa proporção menor, manifesta o deputado.

Função do fundo

No período em que presidiu a Comissão de Agricultura (2005/06), Bohn Gass relacionou os temas que, para ele, devem estar relacionados ao funcionamento do Fundoleite: concentração dos mercados, substituição de matérias-primas e insumos domésticos por importados, manutenção de plantas/linhas industriais de menor escala e rentabilidade, a implementação de reestruturações organizacionais e terceirizações com perda de postos de trabalho, complementariedades com empresas e cooperativas locais, indução à qualificação e à capacitação técnica dos fornecedores, introdução de novas tecnologias e transferência de conhecimento, incentivos aos centros locais de Pesquisa e Desenvolvimento, introdução de requisitos mais estritos de qualidade, manutenção e valorização das marcas nacionais promissoras; e oferta de produtos de consumo popular e de valor agregado para exportação.As crises de preço têm sido cíclicas neste setor. Atualmente, o setor está aquecido e é justamente por isso que devemos criar o fundo agora. Ao organizar a cadeia, o Fundoleite vai prepará-la para eventuais novas crises, finaliza o deputado.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter