Cadastra-se para receber notícias
Desmonte

24/10/2007 12:00

Tamanho da fonte

O deputado estadual Elvino Bohn Gass (PT) repudiou o pacote de medidas do Governo Yeda que pretende sanar as finanças gaúchas a partir do aumento de impostos e da redução da estrutura do Estado, com o corte de recursos nos orçamentos de secretarias e de entidades como a Emater/RS. A manifestação aconteceu na manhã desta quarta-feira (24), durante uma marcha promovida pelo Sindicato dos Empregados em Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas e de Fundações Estaduais do RS (Semapi/RS), que reuniu centenas de pessoas para protestar contra o desmonte do Estado pelo atual governo. A retração dos investimentos fragiliza a estrutura do Estado, penalizando os trabalhadores e incidindo na qualidade da prestação de serviços à população, disse o petista.

Ele criticou a não realização de concursos públicos estaduais e de nomeações, a demissão de trabalhadores, a abertura do capital de estatais e a transferência à iniciativa privada de entidades do Poder Público, proposta no projeto das Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscips). "São medidas que denotam a faceta cruel deste governo. Política de estado mínimo, desemprego, privatizações e arrocho dos trabalhadores não é novidade; é crueldade", frisou.

Bohn Gass está convencido de que o chamado tarifaço repassa à sociedade a conta de decisões equivocadas na administração do RS. O pacote formaliza a lógica do estado máximo para os grandes e mínimo para quem mais precisa, resume o parlamentar.

O protesto, que teve carro de som e animador fantasiado de governadora, mobilizou centenas de funcionários, servidores, técnicos de fundações e entidades como Fase, Fepam, Cientec, Fundação Zoobotânica, FGTAS, FPE e Semapi. Trajando camisetas e carregando bandeiras alusivas ao ato, eles se reuniram sobre a Ponte dos Açorianos para um registro histórico. À tarde, os manifestantes marcharam até o Palácio Piratini.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter