Cadastra-se para receber notícias
Luxo

05/12/2007 12:00

Tamanho da fonte

Para o vice-líder da bancada do PT na Assembléia Legislativa, deputado Elvino Bohn Gass, a transferência do gabinete da governadora do Palácio Piratini para o Centro Administrativo "é uma contradição evidente ao discurso da crise que Yeda vem repetindo à exaustão". Para o deputado, ao mudar-se para o 21º andar do Centro, Yeda "quer ficar longe das manifestações constantes, quase diárias, do funcionalismo, dos movimentos sociais e de grupos como os pequenos e médios empresários que estão insatisfeitos com a forma como ela vem administrando o Estado".

Bohn Gass lembra que, em setembro, quando se falou pela primeira vez na reforma dos 21 andares do Centro Administrativo, o custo estimado da obra era de R$ 14 milhões (R$ 700 mil por andar). "Mas fui informado de que a governadora só reformou um andar. Pelos valores divulgados em setembro, é uma obra que deve ter custado, por baixo, uns R$ 700 mil. Ainda assim é um gasto fútil que afronta a realidade financeira do Estado", afirma Bohn Gass.

O deputado justifica: "É um valor dez vezes superior ao que foi empenhado, por exemplo, no programa Alfabetiza Rio Grande até outubro (R$ 60 mil); ou ainda, igual a tudo o que foi empenhado pelo governo Yeda na rubrica ´Apoio à Infra-Estrutura Rural` que só teve R$ 726 mil até outubro. Mais: um governo que investe zero em extensão e capacitação empresarial, que não bota um centavo em programas como o Família Cidadã e que repassa apenas R$ 1,4 milhão em dez meses para os hospitais filantrópicos, não pode se dar ao luxo de criar gastos fúteis como este do novo gabinete da governadora".

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter