Cadastra-se para receber notícias
CPI do Detran

28/04/2008 12:00

Tamanho da fonte

A CPI do Detran discute, na sessão desta segunda-feira (28), a possibilidade de convocação do ex-secretário de Planejamento, Planejamento, Ariosto Culau, e do secretário-geral de governo, Delson Martini. A demissão de Culau foi oficializada na noite deste domingo ( 27). Ele foi flagrado na última quinta-feira bebendo um chope em um shopping da capital com o empresário Lair Ferst, indiciado pela Operação Rodin. O encontro ocorreu horas depois do anúncio da ruptura de contrato entre o governo do estado e a Fundae.

O presidente da CPI, deputado Fabino Pereira, declarou à imprensa que o rompimento com a Fundae beneficiaria Ferst e, portanto, "o encontro levanta dúvidas se o empresário pressionou o governo para que a decisão fosse tomada".
Os parlamentares querem que o secretário esclareça o episódio e explique o fim do contrato e também vão discutir a quebra do sigilo telefônico de Ferst, do ex-presidente do Detran Flavio Vaz Netto, do secretário Martini e de Ariosto Culau, conforme antecipou Pereira.

Há suspeitas de que Ferst e Vaz Netto poderiam estar chantageando integrantes do governo. O deputado Elvino Bohn Gass (PT), integrante da CPI, disse ao jornal Zero Hora que isto explicaria por que Vaz Netto insiste em marcar uma reunião com Martini, mesmo depois de a própria governadora Yeda Crusius ter se colocado à disposição para conversar com o ex-presidente do Detran.

Na sequência, comparecem à CPi os sócios da empresa Pensant, apontados como mentores da fraude responsável pelo desvio de R$ 44 milhões da autarquia. Ferdinando Francisco Fernandes, Fernando Fernandes, Denise Nachtigall Luz e José Antônio Fernandes prestam depoimento amparados por habeas corpus que lhes concede o direito de permanecerem em silêncio em situações de auto-incriminação.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter