Cadastra-se para receber notícias
Tribuna Popular

08/05/2008 12:00

Tamanho da fonte

O avanço das lutas do movimento comunitário foi registrado, na sessão plenária desta quinta-feira (8), pelo presidente da Federação Gaúcha das Associações de Moradores, Valdir Bohn Gass. Ao ocupar o espaço da Tribuna Popular na Assembléia Legislativa, ele disse que a participação do movimento comunitário, ao longo de sua existência, foi importante para a luta em defesa das políticas públicas e pelo processo de democratização no Brasil.

Valdir Bohn Gass lembrou que a Fracab integrou os movimentos pela moradia, por transporte, por educação pública de qualidade, por atenção à saúde da população sem deixar de se empenhar contra a carestia e em prol das Diretas-já. Além disso, disse que a União dos Moradores de Porto Alegre, fundada em 1983, assumiu a bandeira de defesa da participação popular e endossou o instrumento Orçamento Participativo, instituído na primeira administração petista na capital gaúcha. Já no governo Alceu Collares, primeiro prefeito eleito em Porto Alegre, após a ditadura, ocorreram avanços no processo de participação popular, frisou.

O presidente da Federação observou que, neste ano, a União das Associações dos Moradores de Porto Alegre (Uampa) completa, em 16 de outubro, 25 anos. E também citou a luta da União de Associação dos Bairros de Caxias do Sul que, em 2008, soma 45 anos de existência. Valdir Bohn Gass também se referiu à desarticulação do movimento comunitário, ocorrida nos anos 90, e a posterior rearticulação via a Federação Gaúcha de Associações de Moradores. Esta articula as lutas para que o movimento comunitário demonstre sua força e seu vigor, sublinhou, acrescentando: neste momento, o Brasil amplia as políticas públicas e fortalece a democracia. Lutamos para que não haja nenhum retrocesso, mas avanços democráticos.

Segundo ele, a criação do Ministério das Cidades coroou uma histórica bandeira do movimento comunitário. Queremos que estas conquistas se estabilizem. No RS, nossa luta é para que estas políticas possam ser ampliadas. A Federação tem participado de todas estas mobilizações. Participamos do Pacto pelo Rio Grande, que representou um debate importante sobre a crise do RS. Na ocasião, foram apresentadas propostas para enfrentar o déficit público. No entanto, quase nada foi encaminhado pelo governo Yeda Crusius, criticou.

Por fim, disse que foram eleitos mais de 100 delegados gaúchos para participar do 10º Congresso Nacional das Associações de Moradores, que ocorrerá entre 22 e 25 de maio, na Bahia. Este encontro tem como eixo o fortalecimento do movimento comunitário e contará com representantes de mais de 17 mil associações de moradores. Este congresso será um momento para rearticular o movimento comunitário, que é protagonista nas lutas por distribuição de renda e por melhores condições de vida para o conjunto da população brasileira, arrematou.

Foto: Marcelo Bertani- Agência AL

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter