Cadastra-se para receber notícias
Mansão de Yeda

30/07/2008 12:00

Tamanho da fonte

O deputado Elvino Bohn Gass (PT) classifica de pouco ponderadas as declarações da governadora sobre o pedido feito pelo PT ao Ministério Público de Contas para que investigue eventuais negociações de dívidas no Banrisul do ex-proprietário do imóvel adquirido por Yeda Crusius, Eduardo Laranja. Não estamos fazendo qualquer ilação que justifique a reação da governadora. Estamos, sim, solicitando ao órgão competente que investigue uma denúncia grave que chegou ao nosso conhecimento, frisou.

Segundo o parlamentar, a tese do golpe é um subterfúgio utilizada pela governadora na tentativa de criar um ambiente emocional favorável junto à opinião pública para não ter que dar explicações sobre um negócio nebuloso. A governadora lança mão a cada momento de novos argumentos estapafúrdios para fugir da sua obrigação de prestar esclarecimentos aos gaúchos. Primeiro foi o bebê japonês. Agora é o golpe. Figuras de retóricas, definitivamente, não substituem explicações necessárias sobre fatos suspeitos, sustentou.

Bohn Gass afirmou, ainda, que o aditamento apresentado pelo PT ao Ministério Público de Contas é um desdobramento das investigações efetuadas pela CPI do Detran. O pedido tem como propósito verificar se o Banrisul foi usado para resolver problemas de dívidas de pessoas com relações com governo e se ocorreu influência indevida na instituição financeira. Num ponto concordamos com a governadora: se houve uma farsa, ela será desnudada, finalizou.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter