Cadastra-se para receber notícias
Cesa

23/09/2008 12:00

Tamanho da fonte

A aprovação do projeto de Lei que cria o Plano Safra Estadual no RS e a ampliação de recursos do governo do Estado para a Companhia Estadual de Silos e Armazéns (Cesa) foram as principais estratégias defendidas pelo deputado estadual Elvino Bohn Gass (PT) para fortalecer a instituição. As manifestações aconteceram durante reunião preparatória do lançamento da Frente Parlamentar Supra-partidária em Defesa da Companhia, que aconteceu na manhã desta segunda-feira (22/09), na Assembléia Legislativa, com a participação de ex-presidentes da Cesa, parlamentares, representantes da Fetag, Fetraf-Sul, MPA, Conab, Federarroz, da Associação de Aposentados da Cesa e do gabinete do senador Paulo Paim.

Segundo Bohn Gass, a criação de um Plano Safra Estadual permitirá ao Estado decidir, organizar e divulgar anualmente as medidas, metas, agentes executores e recursos que serão destinados à agricultura. Ele argumenta que o RS possui estruturas públicas privilegiadas para ordenar ações de crédito rural e fundiário, pesquisa agrícola, assistência técnica, extensão rural, defesa sanitária animal e vegetal, seguro agrícola, entre outras, num sentido convergente. "Temos Banrisul, BRDE, e Agência de Fomento para o crédito; Emater e Fepagro para ATER e pesquisa; a Ceasa para comercialização e temos a Cesa, que será fundamental pelo armazenamento e regulação de mercado que realiza. Para isso, o Estado seria obrigado a fortalecer estas instituições", explicou. Ele lembrou que o governo Lula tem feito investimentos importantes para a agricultura familiar, como a destinação de R$ 13 bilhões do Plano Safra e de recursos para assistência técnica e extensão rural.

O deputado dispôs-se a apoiar a formação da Frente Parlamentar e atuar na busca de recursos estaduais que possibilitem a ampliação da estrutura da Companhia. "Com a redução dos recursos estaduais, a Cesa vem encolhendo cada vez mais. Eram 28 filiais, agora já são 25 em todo o RS. Além disso, a Companhia está sofrendo um verdadeiro desmonte. É preciso vontade política para alavancar a Cesa e a Frente será muito importante neste sentido", completou o presidente do Sindicato dos Auxiliares de Administração de Armazéns Gerais do RS (Sagers), Lourival Pereira.

A expansão dos serviços da Cesa também foi defendida pelo representante da superintendência da Conab, Ernesto Irgang. Ele vê necessidade de construção de mais unidades mistas no interior do Estado, de silos a granel, de armazéns convencionais. "É de interesse da Conab que a Cesa esteja fortalecida no Estado, já que o governo Lula, através de ações como o Programa de Aquisição Alimentos (PAA), tem investido na retomada da produção de pequenos e médios agricultores e que a Cesa articula estes programas no RS", destacou.

Para o presidente do MPA, Lecian Conrad, a Conab é tem papel fundamental na recuperação da Companhia. "Quanto mais produtos a Conab adquirir dos agricultores gaúchos, mais viável será a Cesa", apostou. Já o diretor da Fetraf-Sul, Jairo Bolter salientou que o governo federal "tem feito a sua parte enquanto o RS segue processo inverso" ao promover a privatização de parte do Banrisul e o sucateamento da Emater e da Cesa. "Não dá para admitir que a solução dos problemas de todas as instituições públicas gaúchas seja bater na porta do governo federal. Precisamos assumir nossas responsabilidades aqui no Estado", defendeu.

Representando o gabinete do Senador Paim, Luiz Müller informou que Paim articulou uma proposta de data para o lançamento oficial da Frente Parlamentar, com as presenças dos demais senadores gaúchos. "No dia 14 de novembro, Paim, Simon e Zambiazi vão estar em Porto Alegre para um compromisso pela manhã. À tarde, então, eles se dispõem a participar do lançamento da Frente", disse.

Como encaminhamento do encontro, foi acertada a realização de duas reuniões em Porto Alegre nas próximas semanas para identificar os problemas da Cesa e as necessidades que a Companhia deverá atender nos próximos períodos. "Vamos construir a Frente Parlamentar e a reengenharia necessária para o fortalecimento da Cesa", finalizou Lourival Pereira.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter