Cadastra-se para receber notícias
Tour da governadora

10/02/2009 12:00

Tamanho da fonte

O líder da bancada petista, Elvino Bohn Gass, estranha notícias contraditórias a respeito do roteiro e cobra do governo estadual informações detalhadas

As contradições entre as informações divulgadas pelo Palácio Piratini a respeito da viagem da governadora Yeda Crusius e o que vem sendo publicado nos veículos de comunicação dos Estados visitados pela tucana preocupam a bancada do PT na Assembléia Legislativa. Em nome da transparência, o líder e deputado Elvino Bohn Gass encaminhou, na tarde desta terça-feira (10), pedido de informações. Ele cobra do Executivo Estadual esclarecimentos sobre custeio, fretamento de aeronave, comitiva e cidades visitadas. A transparência é o mínimo que se exige, pontuou Bohn Gass. Consta, no site do Diário de Pernambuco, que a governadora está de férias e aqui não foi detalhado o roteiro. Ela tem todo o direito de tirar férias até porque 2008 foi o ano das maiores denúncias que este Estado já viveu, como as relativas à fraude no Detran, sublinhou o petista, para quem Yeda deveria passar o cargo ao vice-governador.

O parlamentar considera inadequado o tour da governadora justamente no momento em que a Metade Sul do estado sofre em função da tragédia causada pelo ciclone extratropical e a Região Noroeste é castigada pela estiagem. Além disso, acrescentou, há demissões decorrentes do reflexo da crise financeira internacional no Rio Grande do Sul, fugas de presídio e, só no último fim de semana, mais de 20 mortos vítimas da insegurança pública. Bohn Gass salienta que a governadora percorre diversas regiões do País para divulgar o déficit zero, desconsiderando o problema social decorrente desta política que não aplica na saúde e na educação os percentuais previstos na Constituição.

Imobilismo x ações

Estamos acéfalos no Rio Grande do Sul, lamentou. No entendimento de Bohn Gass, a governadora deveria seguir o exemplo do presidente Lula e promover reuniões com os setores mais atingidos pela crise, como o da construção civil e das máquinas agrícolas e anunciar medidas para amenizar os impactos da crise no estado. Mas ela viaja e a bancada do PT quer esclarecimentos porque as notícias não conferem. Os argumentos são falaciosos. Faltou dinheiro para saúde e para a educação. Será que em São Paulo e em Pernambuco, Yeda se refere aos problemas afetos à agricultura, à saúde e à educação?, indagou o líder, ao sustentar que a sociedade gaúcha tem o direito de ser informada e a governadora o dever de prestar contas dos seus atos.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter