Cadastra-se para receber notícias
Nota oficial

20/02/2009 12:00

Tamanho da fonte

A Comissão Executiva do PT/RS e a bancada petista na Assembléia Legislativa se reuniram extraordinariamente, na manhã desta sexta-feira (20), para analisar as graves denúncias contra o governo Yeda Crusius, que foram reveladas pelo PSOL na quinta-feira (19). Ao final do encontro, os dirigentes petistas manifestaram sua posição em nota oficial lançada à imprensa.

Em se confirmando as denúncias, a governadora não terá mais condições de comandar os gaúchos, frisou o líder da bancada, deputado Elvino Bohn Gass. Ele estranha a falta de manifestação do governo. E disse que pedirá ao Ministério Público Federal (MPF) que inclua as provas da Operação Solidária na representação encaminhada pelo PT ao MPF por ocasião da CPI do Detran. Naquela oportunidade, os deputados petistas identificaram fortes indícios de improbidade administrativa da governadora e de integrantes da gestão. Além disso, a bancada do PT solicitará ao Colégio de Líderes que também busque acesso aos documentos relativos às denúncias e entende que fatos desta gravidade não podem permanecer em sigilo. Os gaúchos têm o direito a estas informações, salientou Bohn Gass.

As Denúncias
Segundo a deputada Luciana Genro e o vereador Pedro Ruas, a empresa Mac Engenharia, repassou R$ 500 mil para Lair Ferst, para o ex-secretário Delson Martini, para Carlos Crusius. O fato teria acontecido na presença do ex-secretário da Fazenda Aod Cunha, do ex-secretário da prefeitura de Canoas, Chico Fraga, e Rubens Bordini, que arrecadou recursos durante a campanha da governadora e integra a direção do Banrisul. Ferst foi um dos coordenadores da campanha de Yeda em 2006 e é réu na Operação Rodin, que desbaratou um rombo de R$ 40 milhões nos cofres públicos do Estado. Já o proprietário da Mac Engenharia é citado na investigação da Operação Solidária, em andamento no Ministério Público Federal.

A deputada também falou que há uma gravação onde o deputado José Otávio Germano aparece entregando R$ 400 mil para serem usados no segundo turno da campanha da tucana ao governo estadual. De acordo com as informações reveladas pelo PSOL, há uma outra gravação tratando dos detalhes da compra da casa da governadora. Nesta, aparece Lair Ferst entregando R$ 400 mil para um corretor de imóveis. Além disso, o partido também se referiu a um mensalinho, distribuído por Martini e por uma assessora de Yeda. Devido à gravidade das denúncias, o PT quer imediata investigação.

Nota Oficial
A Comissão Executiva do PT/RS e a bancada do PT na Assembléia Legislativa, frente à gravidade das denúncias feitas por parlamentares e dirigentes do PSOL, na quinta-feira (19), envolvendo membros do governo estadual, dos partidos que os sustentam e da própria governadora Yeda Crusius, reuniu-se em caráter de urgência, na manhã desta sexta-feira (20).

Consideramos que apesar de não serem apresentadas provas, as acusações estão relacionados com os fatos denunciados e analisados pela CPI do Detran, na Assembléia Legislativa. Estes são comprovados e integram a representação do PT encaminhada ao Ministério Público Federal.

São evidentes os elementos que mostram as relações e o protagonismo de investigados na CPI do Detran e na Operação Solidária. Alguns fatos, embora corram em caráter sigiloso no Ministério Público Federal, já foram divulgadas pela imprensa gaúcha.

Preocupa-nos o laconismo da nota oficial do governo estadual, que até o momento não respondeu e, tampouco tomou iniciativa para esclarecer as acusações.

Reafirmamos nosso voto em separado na CPI do Detran, que se transformou numa representação ao Ministério Público Federal para continuar investigando questões não elucidadas pela CPI do Detran, devido a não prorrogação dos trabalhos, e pelo posterior desencadeamento da Operação Solidária pela Polícia Federal e Ministério Público Federal.

Nesse sentido, mesmo compreendendo o caráter sigiloso das investigações, entendemos que o Poder Legislativo e o povo gaúcho têm o direito a conhecer o conteúdo das provas que parlamentares do PSOL afirmam ter tido acesso.

Sem pré-julgamentos, nos empenharemos nos próximos dias para que essas informações sejam alcançadas pelo Poder Legislativo e pela sociedade gaúcha.

Em se confirmando as denúncias, o PT entende que a governadora Yeda Crusius não tem mais condições de permanecer no comando do governo dos gaúchos.

Porto Alegre, 20 de fevereiro de 2009.

Comissão Executiva Estadual do PT/RS

Bancada do PT na Assembléia Legislativa

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter