Cadastra-se para receber notícias
Combate à seca

03/06/2009 12:00

Tamanho da fonte

Em pronunciamento na tribuna, nesta quarta-feira (3), o líder da bancada petista na Assembleia Legislativa elogiou as novas medidas anunciadas pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário para combater os efeitos da seca no Rio Grande do Sul. Conforme havia anunciado nesta manhã o ministro interino do Desenvolvimento Agrário, Daniel Maia, os recursos para os agricultores atingidos pela seca no Sul e pelas enchentes no Norte e Nordeste do país chegam, agora, a R$ 1,1 bilhão.

Para o parlamentar, as medidas são necessárias já que a intensidade e a repetição da estiagem caracterizou uma situação de seca que exige políticas públicas eficientes e sistemáticas no Rio Grande do Sul. "Nas últimas 10 safras, em apenas três vezes obtivemos uma colheita cheia. Em sete ocasiões houve prejuízo", informou.

O governo federal anunciou um conjunto de medidas, dentre as quais a prorrogação de um ano no prazo para o pagamento do crédito para investimentos e um desconto de 30% no pagamento do custeio. Além disso, foi disponibilizado um crédito emergencial de R$ 2 mil para as famílias mais necessitadas, com juros subsidiados de 0,5% ao ano e prazo de dois anos.

Bohn Gass lamentou que as medidas do governo federal não sejam acompanhadas de igual teor do governo estadual. "Onde está o programa de irrigação?", cobrou. "Onde está o seguro agrícola implantado no governo Olívio?, questionou. Para o parlamentar, a imobilidade do governo estadual prejudica os agricultores e sobrecarrega o governo federal, que é obrigado a compensar a falta de políticas do governo tucano.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter