Cadastra-se para receber notícias
Campanha da Fraternidade 2010

22/02/2010 08:27

Tamanho da fonte

Bohn Gass pede votação da lei de fomento à Economia Solidária

http://www.bohngass.com.br/wp-content/uploads/2010/02/campanha-fraternidade-20101.jpg">http://www.bohngass.com.br/wp-content/uploads/2010/02/campanha-fraternidade-20101.jpg" alt="" width="301" height="418" />O líder da bancada do PT, deputado Elvino Bohn Gass, afirma que a Assembleia Legislativa pode oferecer uma valiosa contribuição para a Campanha da Fraternidade 2010 (cujo lema é "Economia e Vida") se votar, ainda este ano, o projeto de lei que cria a Política Estadual de Fomento à Economia Solidária. "Os empreendimentos auto-gestionários constituem uma experiência concreta de economia a favor da vida, mas ainda carecem de um marco legal que os coloque, definitivamente, no orçamento do Estado. O projeto de lei resolve esta situação e por isso deve ser votado imediatamente", diz Bohn Gass.

Atualmente, mais de 200 mil pessoas já tem seu trabalho e sua renda extraídos de empreendimentos solidários no Rio Grande do Sul. São cooperativas, associações e grupos que produzem desde artesanato até equipamentos para a indústria naval. "A grande diferença é que atuam de forma auto-gestionária, ou seja, produzem e digirem os empreendimentos com distribuição igualitária das responsabilidades e dos ganhos. São exemplos de atividade produtiva que não geram apenas crescimento econômico, mas criam oportunidades, ou seja, combatem a miséria melhorando, de fato, a vida de quem está neles", manifesta Bohn Gass.

O projeto de lei é de iniciativa popular e chegou à Assembleia Legislativa impulsionado por mais de cinco mil assinaturas. Projeto semelhante já havia sido apresentado pelo deputado Bohn Gass ainda ao tempo do governo Rigotto. Chegou a ser aprovado pelos deputados mas acabou vetado pelo governador. Em síntese, a criação de uma política estadual de fomento prevê ações públicas que financiem a organização de empreendimentos, facilitem a comercialização de produtos e atuem na qualificação profissional. "Podemos trazer o debate da Campanha da Fraternidade para a Assembleia Legislativa, podemos fazer a reflexão e até conquistar corações e mentes. Mas se aprovarmos o projeto teremos dado uma contribuição concreta superior a qualquer doação financeira à Campanha da Fraternidade", conclui Bohn Gass.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter