Cadastra-se para receber notícias
Estamos indo bem no que importa que é o combate à desigualdade, diz Bohn Gass

08/03/2012 08:32

Tamanho da fonte

Estamos indo bem no que importa que é o combate à desigualdade, diz Bohn Gass

Dilma e Lula: governos que diminuem a desguldade social no Brasil

            “No que mais importa que é o combate à desigualdade, o Brasil vai muito bem e registra o menor índice de sua história”, disse o vice-líder do PT, deputado Elvino Bohn Gass, nesta quinta-feira (8), no Plenário da Câmara. Para o petista, a divulgação, pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) de que o índice de GINI (taxa medida entre 0 e 1, quanto mais próximo de 1, maior é desigualdade do país) chegou a 0, 5190 em janeiro de 2012, é a melhor resposta que o país poderia dar aos que avaliaram como muito baixo o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2011, que ficou em 2,7%. “Em 2001, a taxa era de 0,5957. Para os estudiosos da FGV, a queda foi espetacular”.

 

            Ressaltando que os números sobre os quais a FGV trabalhou, ainda não captam os efeitos do aumento do salário-mínimo do último mês de janeiro o deputado afirmou que isto  só reforça a certeza de que a miséria vem diminuindo fortemente no Brasil. “Neste caso, os números falam: a pobreza caiu 7,5% entre 2002 e 2008,  aumentou 2,1% com a crise de 2009 e voltou a cair fortemente em 2010 (-8,8%) e em 2011 (-11,7%).” Para o deputado, as informações confirmam o que o povo já está sentindo, ou seja, que os governos petistas estão  mudando a história.

 

            “Até pouco tempo, as famílias brasileiras não faziam parte da riqueza do país. Agora, foi o consumo dessas famílias que fez o Brasil crescer. Em 10 anos, a renda dos 50% mais pobres cresceu 68%,  já a renda dos 10% mais ricos cresceu 10%. Significa que  a renda dos 50% mais pobres está crescendo seis vezes mais rápido do que a renda dos 10% mais ricos. Isto é correção de rumos. Estamos pagando a enorme dívida social que os governos anteriores a Lula e Dilma deixaram em nosso país”.

 

            O deputado fez questão de lembrar que a análise não é de um petista, mas do economista Marcelo Neri, da FGV. “É ele quem afirma que apesar de continuarmos um dos países mais desiguais do mundo, o acerto das políticas de crescimento econômico com inclusão social, em implementação desde 2003, com o ex-presidente Lula e agora com Dilma Rousseff, estão, finalmente, mudando o quadro.´ ”

 

            JUROS E POLÍTICAS – O  vice-líder do PT disse, ainda, que a seriedade e a competência da equipe econômica do governo Dilma são comprovadas pelo fato de a grave crise europeia não ter atingido diretamente o bolso dos brasileiros e pelos dados de geração de emprego do IBGE, que indicam crescimento constante. “Isto é fruto da acertada política de redução de juros e das medidas corajosas que temos tomado em proteção às nossas indústrias.”

            Por fim, Bohn Gass rebate as críticas da oposição que, segundo ele, fazem comparações oportunistas entre o desempenho do Brasil e o dos demais países emergentes. “Eles dizem que crescemos menos do que a China e a Índia, mas não dizem que nestes locais, não há diminuição da desigualdade que, no Brasil, cresce num ritmo três vezes superior à meta do milênio da ONU que é de reduzir a pobreza em 25 anos.

 João Manoel de Oliveira – maneco1313@gmail.com – (61) 9303 0591

 

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter