Cadastra-se para receber notícias
Bohn Gass faz emendas para EVITAR CORTE de verbas do Hospital Conceição e de rodovias no RS

06/06/2018 03:02

Tamanho da fonte

Bohn Gass faz emendas para EVITAR CORTE de verbas do Hospital Conceição e de rodovias no RS

// Deputado diz que agricultura, educação e segurança também perderão

O Rio Grande do Sul está perdendo, diretamente, cerca de R$ 14 milhões com a Medida Provisória 839 editada pelo governo Temer que retira recursos previstos no Orçamento da União para obras e melhorias em trechos de quatro BRs dentro do território gaúcho e de investimentos no Hospital Conceição de Porto Alegre. Para evitar que esses cortes se concretizem, Bohn Gass fez emenda à MP, repondo os valores previstos. Confira as emendas apresentadas:

- BR 285: R$ 1.501.018,00 (Erechim/PassoFundo)

- BR 285: R$ 4.829.218,00 (São José dos Ausentes)

- BR 290: R$ 1.508.108,00 (Pantano Grande)

- BR 472: R$ 3.328.200,00 (Itaqui/Uruguaiana)

- Hospital Conceição: R$ 2.286.315,00 (atendimento básico)

- Hospital Conceição: R$ 291.870,00 (residência de profissionais de saúde)

“O povo gaúcho não pode pagar a conta pelos erros que a gestão Temer/Parente cometeu na Petrobras”, afirma Bohn Gass. Pela justificativa do governo, os cortes seriam necessários para compensar a redução de R$ 0,46 centavos no preço do óleo diesel, prometida aos caminhoneiros para que a greve de dias atrás fosse encerrada. O deputado sustenta que esse custo deveria ser absorvido pelos acionistas da Petrobras, que lucraram com a política abusiva de reajustes diários dos combustíveis implantada pela gestão de Pedro Parente na Petrobras. Boa parte desses acionistas, segundo Bohn Gass “são ricos, grandes investidores, bancos inclusive. Mas Temer não tem coragem política para enfrentar esses barões do mercado e, então, cobra a conta do povo”, diz o petista.

Bohn Gass também considera inaceitáveis os cortes que estão em outras MPs já enviadas por Temer com a mesma justificativa e que tiram recursos de áreas como a saúde/SUS (R$ 135 milhões), combate às drogas (R$ 6 milhões), a educação (R$ 55 milhões do ensino superior) e segurança pública (R$ 1,5 milhão policiamento de rodovias e R$ 2 milhões da Força Nacional de Segurança). “Fizemos emendas, também, para garantir R$ 21 milhões para a reforma agrária e, ainda, R$ 5,4 milhões para assistência técnica e extensão rural na agricultura familiar”, acrescenta o deputado, afirmando que “Temer e seu bando chegaram ao poder por um golpe financiado pelo mercado. Na Petrobras, fizeram tudo o que o mercado queria, inclusive, a política de aumentos diários. Agora, isso ficou insuportável. Mas, por enquanto, só estamos falando do diesel. Se permitirmos que o povo pague a redução do diesel, eles farão a mesma coisa quando forem - e serão - obrigados a reduzir o preço da gasolina e do gás de cozinha”, reflete Bohn Gass.

 

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter