Cadastra-se para receber notícias
Ministro confirma a Bohn Gass que investigação sobre a ALL já começou

28/06/2011 03:00

Tamanho da fonte

Ministro confirma a Bohn Gass que investigação sobre a ALL já começou

O deputado federal Elvino Bohn Gass (PT) recebeu do Ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, cópia da Portaria 140 que vai apurar as denúncias de irregularidades cometidas pela América Latina Logística (ALL) no cumprimento do contrato de concessão que lhe autoriza explorar a malha ferroviária do Rio Grande do Sul. As denúncias foram formalizadas ao ministro pela Frente Parlamentar Mista de Ferrovias e pela Associação dos Municípios da Grande Santa Rosa duranter audiência organizada por Bohn Gass no último dia 14 de junho em Brasília.
“O Governo Federal agiu rápido. A investigação já começou. Os técnicos designados pelo ministério tem um prazo de 90 dias para trabalhar. Significa que até o final do mês de setembro, o Governo Federal terá seu próprio diagnóstico e poderá, então, estabelecer as punições que julgar necessárias, exigir ressarcimentos, estabelecer prazos para novas obras ou, até mesmo, se for o caso, suspender o contrato com a ALL,” diz o deputado Bohn Gass.
Na Portaria 140, ficou estabelecido que a equipe encarregada de apurar as denúncias contará com dois funcionários da Secretaria de Gestão e Programas e outros dois da Secretaria de Políticas Nacionais de Transporte com o apoio da Consultoria Jurídica do ministério.
Bohn Gass já acertou com o presidente da Frente Parlamentar de Ferrovias, deputado Pedro Uczai (PT/SC), a realização de uma audiência pública no Rio Grande do Sul quando, então, municípios de todo o Estado terão a oportunidade de avaliar o serviço ferroviário que vem sendo prestado pela ALL. “Num primeiro momento, levamos ao Governo Federal apenas as denúncias das regiões Grande Santa Rosa, Missões, Noroeste Colonial e Alto Jacuí onde irregularidades já foram constatadas pelo Ministério Público Federal.  Mas a ALL explora toda a malha ferroviária gaúcha e, então, a audiência pública poderá medir o grau de satisfação das outras regiões do Estado com o serviço”.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter